O uso de tecnologia no campo reduz o impacto ambiental, aumenta a produtividade e melhora a qualidade da colheita

A transformação digital na agricultura veio para ficar, tendo em vista que, a tecnologia está cada vez mais presente no cotidiano, abrangendo todas as áreas e atividades. A era digital está presente também no campo, pois, os agricultores tem adotado a cada dia, sofisticadas ferramentas que facilitam o trabalho e são capazes de expandir a produção e, em consequência, aumentar os lucros.

Para suprir a demanda, os agricultores tem buscado por inovações tecnológicas que forneçam ao setor agrícola, ferramentas e informações que auxiliam na tomada de decisões, fazendo com que o trabalho na lavoura se torne mais assertivo, fato que melhora consideravelmente a produtividade.

Um estudo realizado nos últimos anos, demonstrou inclusive que, a agricultura no Brasil atingiu um nível de excelência em digitalização que ultrapassou até mesmo o agricultor norte-americano. Pesquisa da MCKinsey Consultoria, revelou que, 36% dos agricultores brasileiros entrevistados aceitam bem o uso de tecnologias e fazem compras on-line, ao passo que, nos Estados Unidos, apenas 24% dos entrevistados realizam negociações on-line. O estudo concluiu que, o agronegócio no Brasil, tem um perfil mais jovem e inclinado a mudanças e a novas tecnologias.

Do mesmo modo, uma pesquisa realizada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), apontou que, 84% dos agricultores no país adotaram ao menos uma ferramenta digital em suas funções no campo.

Não é de se estranhar que os agricultores estejam se tornando mais digitais, pois as tecnologias têm o potencial de fornecer informações, além de aumentar a capacidade de enfrentar desafios e aproveitar as oportunidades de crescimento. As tecnologias digitais podem permitir uma eficiência aprimorada de produtos agrícolas, proporcionando tranquilidade aos consumidores e maior valor para os agricultores.

A propagação de tecnologias na agricultura tem concedido ao agricultor mais acesso a informações que são de extrema importância para o trabalho no campo, pois, otimizam as redes de suprimentos e, ao mesmo tempo, reduzem o custo operacional.

Os softwares e ferramentas disponíveis hoje são capazes de traçar métricas que vão desde a saúde do solo, umidade, tendências de nutrientes e padrões de vento até qualquer metro quadrado de terra arável. E não para por aí, tendo em vista que, é possível também mapear o rendimento, fazer aplicações de taxas variáveis como água, pesticidas e fertilizantes. 

A tecnologia do agronegócio inclui ainda sensores, redes de comunicação, veículos aéreos não tripulados, maquinário robótico, inteligência artificial e outros maquinários e tecnologias avançadas.

Presentes em praticamente todas as etapas da produção, as tecnologias e análises digitais também reduzem o impacto ambiental, geram menos desperdício, aperfeiçoam a utilização de insumos, além da redução de custos e o aumento considerável na segurança dos trabalhadores do campo.

Uma tecnologia que tem se difundido cada vez mais no país é o Fluxin, ferramenta desenvolvida pela Agroflux que permite ao agricultor tomar decisões baseadas em dados concretos, que são gerados por meio do equipamento de última geração, capaz de fazer uma análise completa nos aplicadores de defensivos agrícolas.

O Fluxin auxilia o agricultor a administrar da melhor forma seus recursos, ao passo que, aponta possíveis erros na aplicação do produto na lavoura. O equipamento é capaz de identificar em poucos segundos se o pulverizador apresenta algum bico entupido. Com a identificação do problema, a correção pode ser feita e a aplicação se torna mais segura, pois, o Fluxin garante que apenas a quantidade de defensivo programado seja aplicada.

Ao desenvolver o Fluxin, a Agroflux contribuiu significativamente com digitalização dos processos agrícolas no país. Quando o agricultor opta por utilizar o Fluxin, ele recebe também o acesso ao Dataflux, aplicativo móvel, que transforma a leitura do pulverizador em dados que podem ser gerados em forma de gráficos e planilhas, dessa forma, o produtor pode fazer o acompanhamento de suas aplicações confrontando o histórico do equipamento com os dados atuais, o que proporciona ainda mais segurança e qualidade para o trabalho.

De maneira simples e descomplicada, os dados podem ser transferidos do aparelho para o celular, sem exigir conexão com internet, tendo em vista que, essa transmissão ocorre via bluetooth, o que garante a troca de dados sem a utilização de redes ou cabos.